Ataques no sul do Afeganistão matam 14 civis

Dois atentados com bombas à beira de estradas no sul do Afeganistão mataram ontem 14 civis, incluindo três crianças, informaram funcionários locais hoje. As vítimas mostram o preço pago pelas pessoas comuns, no conflito entre as forças militares locais e internacionais e o Taleban. Os funcionários atribuíram os ataques a militantes do Taleban, que fizeram desse tipo de ataque parte de seu arsenal básico. Uma das explosões ocorreu no distrito Gereshk, na província de Helmand, matando 11 pessoas, duas mulheres e nove homens, segundo um porta-voz do governador provincial.

AE-AP, Agencia Estado

13 de agosto de 2009 | 15h48

Na província vizinha de Kandahar, três crianças foram mortas após começarem a brincar com outra bomba, que elas haviam encontrado em uma rodovia a oeste da capital provincial, segundo a polícia. As vítimas tinham idades entre oito e 12 anos. O sul do Afeganistão é o centro da insurgência liderada pelo Taleban, onde milhares de tropas norte-americanas foram enviadas este ano para reverter os avanços dos militantes e criar condições para as eleições presidenciais do dia 20.As forças internacionais lutam para combater os militantes, ao mesmo tempo em que têm obedecido a regras mais estritas para proteção dos civis. O general Stanley McChrystal, principal comandante dos Estados Unidos e da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão, estabeleceu a proteção aos civis como sua prioridade.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoviolênciaataques

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.