Ataques palestinos atrapalham processo de paz, diz Bush

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, disse que considera difícil a obtenção de progressos rumo à paz no Oriente Médio enquanto persistirem os "ataques terroristas" dos militantes palestinos. Segundo ele, para atingir o objetivo americano de um Estado palestino convivendo em paz com Israel, "é preciso haver um esforço concentrado de todas as partes interessadas no combate ao terror. Existem terroristas no Oriente Médio que querem matar para garantir que um Estado palestino nunca saia do papel".Bush elogiou o ex-primeiro-ministro palestino Mahmoud Abbas, que renunciou em setembro. "Infelizmente ele não está mais no poder. Ele foi induzido a sair do governo e eu não vejo o mesmo compromisso no combate ao terror por parte da velha guarda", disse Bush. Depois de sua renúncia, Abbas foi substituído por Ahmed Korei, escolhido a dedo pelo presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Yasser Arafat.Bush também criticou a construção de uma barreira de segurança por parte de Israel, com o objetivo de isolar-se fisicamente das áreas palestinas. "Existe uma certa diferença entre segurança e aquisição de terras", alertou. Ainda segundo Bush, os EUA estão prontos para ajudar os palestinos a desenvolverem sua economia.

Agencia Estado,

28 de outubro de 2003 | 19h26

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.