Ataques rebeldes matam 5 soldados dos EUA e 4 iraquianos

Rebeldes iraquianos promoveram uma série de ataques no volátil triângulo sunita, matando cinco soldados americanos em diferentes ações a oeste de Bagdá e errando por pouco um comboio militar dos Estados Unidos em uma explosão que matou quatro iraquianos e feriu 38 pessoas ao norte da capital. Em Khaldiyah, 110 quilômetros a oeste de Bagdá, três soldados americanos morreram e seis ficaram feridos quando um veículo, possivelmente dirigido por um militante suicida, explodiu em um posto de checagem americano perto de uma ponte sobre o Rio Eufrates, informou o comando militar dos EUA. Segundo testemunhas, um carro atravessou o posto de checagem e explodiu em frente a um veículo militar americano que tentou bloqueá-lo. Pelo menos oito iraquianos, inclusive seis mulheres, ficaram feridos, disse o doutor Ahmed Nasrat Jabouri, do hospital de província perto de Ramadi. Mais cedo, em Faluja, também na região central do Iraque, dois soldados dos EUA foram mortos por explosivos detonados na passagem do comboio militar em que viajavam. Em Samara, quatro civis iraquianos morreram e pelo menos 38 pessoas ficaram feridas (inclusive sete soldados americanos) na explosão de um carro-bomba no centro de Samara, uma das cidades na conflitiva região central iraquiana. Os explosivos no veículo, um utilitário, foram detonados por controle remoto pouco depois da passagem de uma patrulha dos EUA que se dirigia à delegacia de polícia local, disse a capitã Jennifer Knight.Um alto funcionário americano na área, Bob Silverman, afirmou estar convencido que o objetivo era prejudicar as eleições na Câmara Municipal. O Legislativo fica perto do local do ataque, ocorrido no momento em que os conselheiros se preparavam para a votação de representantes provinciais, que acabou sendo adiada. Khaldiyah, Faluja e Samara ficam no chamado triângulo sunita, a área a oeste e norte de Bagdá dominada pelos partidários do ex-presidente Saddam Hussein. Em Mossul, norte do país, um policial iraquiano morreu e dois ficaram feridos em um ataque a tiros contra um automóvel. Mais de 600 policiais, a maioria da nova força criada pelos EUA, foram mortos desde o fim oficial da guerra, em 1º de maio. No mesmo período, morreram 512 soldados americanos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.