Ataques suicidas deixam 13 mortos no Iraque

Dois suicidas detonaram os explosivos que levavam junto ao corpo no interior e nas proximidades de uma mesquita xiita em Bagdá nesta terça-feira, matando 13 pessoas e ferindo 32, segundo autoridades iraquianas.

Agência Estado

18 Junho 2013 | 08h56

As explosões coordenadas são a mais recente de uma série de ataques realizados em todo o Iraque, o que reaviva os temores de que o país possa voltar a registrar confrontos sectários, que deixaram o país à beira de uma guerra civil em 2006 e 2007.

A polícia disse que o primeiro suicida detonou os explosivos num posto de verificação perto da mesquita, localizada no bairro de Qahira, norte de Bagdá, numa aparente tentativa de distrair as autoridades. O bairro é habitado predominantemente por xiitas de classe média.

Em meio à confusão após a explosão, um segundo homem entrou na mesquita e detonou os explosivos, enquanto os fiéis realizavam as orações do meio-dia. Um médico que trabalha num hospital próximo confirmou o número de vítimas. Todas as fontes falaram em condição de anonimato.

A violência aumentou no Iraque nos últimos meses, assim como as tensões políticas e sectárias. Insurgentes costumam atacar xiitas, considerados por extremistas sunitas como infieis e não muçulmanos.

Nenhum grupo havia assumido a responsabilidade pelo ataque, mas atentados suicidas e contra fiéis xiitas costumam ser realizados pelo braço da Al-Qaeda no Iraque. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Iraqueviolênciaxiitassuicidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.