Ataques suicidas matam seis no noroeste do Paquistão

Membros da Al-Qaeda e do Taleban se refugiaram em outras regiões remotas e montanhosas do país

Reuters e Associated Press,

24 de agosto de 2007 | 09h20

Um militante suicida matou seis soldados paquistaneses e feriu outros 17 ao lançar um carro-bomba contra um comboio militar na turbulenta região do Waziristão do Norte, perto da fronteira com o Afeganistão, segundo fontes militares.   O primeiro ataque da sexta-feira ocorreu perto da localidade de Mir Ali, no Waziristão do Norte, e matou cinco militares. O segundo foi 35 quilômetros ao sul de Miranshah, principal cidade daquela região, segundo militares.   Horas depois, outro carro-bomba guiado por um suicida atingiu mais um comboio na mesma região, matando um soldado e ferindo três.O Paquistão vive uma grave onda de violência desde o mês passado, quando foi rompida uma trégua de dez meses com os militantes no Waziristão do Norte. Na mesma época, militares ocuparam uma mesquita de Islamabad que estava tomada por simpatizantes do Taliban.Mais de 200 pessoas, a maioria soldados e policiais, já foram mortas desde o mês passado. A maioria das mortes ocorreu no Waziristão e em outras partes do noroeste.Muitos membros da Al-Qaeda e do Taleban se refugiaram no Waziristão e em outras regiões remotas e montanhosas no lado paquistanês da fronteira com o Afeganistão, depois que forças afegãs e norte-americanas derrubaram o regime Taleban, no final de 2001.Autoridades dos Estados Unidos dizem que, apesar dos esforços do governo paquistanês, aliado de Washington, o Waziristão continua sendo um refúgio para militantes da Al-Qaeda  e do Taleban.

Tudo o que sabemos sobre:
Paquistãoatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.