Ataques suicidas no noroeste do Paquistão matam 41

Dois ataques suicidas em um campo de refugiados na região de Kohat, noroeste do Paquistão, mataram 41 pessoas e feriram outras 62, de acordo com as autoridades locais. As explosões ocorreram em um ponto de distribuição de alimentos, mas não se sabe se as vítimas estavam esperando para receber comida ou se buscavam abrigo. O campo é utilizado algumas vezes por grupos humanitários - incluindo o Programa Alimentar Mundial, da Organização das Nações Unidas (ONU) - para distribuir auxílios. Nenhum grupo assumiu a autoria dos ataques.

AE-AP, Agência Estado

17 de abril de 2010 | 11h02

Nos últimos 18 meses, o Paquistão tem sido atingido por explosões quase diárias atribuídas a militantes da Al-Qaeda e do Taleban. A maior parte deles teve como alvo instalações do governo, mas em algumas ocasiões os alvos foram civis.

O campo perto de Kohat recebia pessoas do distrito de Orakzai, onde o exército paquistanês luta contra insurgentes desde o final do ano passado, e abrigava entre mil e 2 mil refugiados. Cerca de 210 mil civis fugiram de Orakzai desde o início do conflito, incluindo aproximadamente 50 mil pessoas que deixaram a região em março, quando soldados tomaram o local por terra para atacar os insurgentes.

Tudo o que sabemos sobre:
ataquePaquistãoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.