Ataques taleban deixam 14 mortos

Suicidas usando burcas atacam base americana e prédios do governo em 2 cidades afegãs

Patrícia Campos Mello, JALALABAD, AFEGANISTÃO, O Estadao de S.Paulo

22 de julho de 2009 | 00h00

Uma série de ataques suicidas do Taleban causou a morte de pelo menos 14 pessoas no leste do Afeganistão ontem. Homens-bomba, muitos deles vestidos com burcas, atacaram agências governamentais em Gardez e uma base militar americana em Jalalabad, onde estava a reportagem do Estado (mais informações nesta página). Gardez é a capital da Província de Paktika, onde foi sequestrado pelo Taleban o soldado americano cujo vídeo foi divulgado nesta semana. Foram 15 homens-bomba no ataque a Gardez. Patrícia Campos Mello faz o diário do conflito no Afeganistão em seu blog"Um dos suicidas detonou os explosivos diante do Departamento de Inteligência, matando três agentes. Pelo menos quatro suicidas foram mortos por policiais", disse o porta-voz da Província de Paktika, Rohullah Samoon. Dois policiais morreram quando outro suicida detonou seu cinturão-bomba diante da delegacia de Gardez. Em Jalalabad, três homens-bomba tentaram invadir a base americana de Fenty, onde fica o aeroporto da cidade, próxima à fronteira do Paquistão. Eles mataram um policial que tentou detê-los e depois dispararam uma granada propelida por foguete contra a base. Dois militantes foram mortos antes de conseguir detonar seus coletes-bomba e outro foi preso.No oeste do Afeganistão, a polícia da Província de Nimroz deteve ontem cinco afegãos que aparentemente planejavam cometer atentados suicidas, disse o governador Ghulam Dastagir Azad.Os ataques marcam uma escalada na violência do Taleban e outros grupos de insurgentes a menos de um mês das eleições, que ocorrem no dia 20. AUMENTO DE TROPASO envio de milhares de soldados - parte da nova estratégia do presidente Barack Obama - está provocando um aumento de confrontos e mais baixas. Até o final do ano, os EUA terão 68 mil soldados no Afeganistão.Os atentados em Gardez ocorreram logo depois de um encontro entre funcionários da Província de Paktika e líderes tribais para discutir sobre a segurança durante as eleições.Também no leste do Afeganistão, quatro soldados foram mortos na segunda-feira na explosão de uma bomba caseira na estrada. Julho é o mês com maior número de mortes de militares desde a invasão americana, em 2001. Trinta e um soldados americanos foram mortos desde o início do mês.O Taleban opõe-se ao governo do presidente Hamid Karzai, apoiado pelos Estados Unidos e os outros países que lutam contra a insurgência no Afeganistão. O grupo governou o país entre 1996 e 2001, até ser deposto durante a invasão liderada pelos Estados Unidos, e agora luta para reconquistar o controle da área rural do Afeganistão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.