Até 200 mil haitianos poderão pedir asilo nos EUA

Até 200 mil haitianos que vivem nos Estados Unidos poderão obter asilo temporário no país após o terremoto que devastou o Haiti há uma semana. "Nossa estimativa preliminar é de entre 100 mil e 200 mil pessoas", disse Alejandro Mayorkas, diretor dos serviços de cidadania e imigração dos Estados Unidos.

AE, Agencia Estado

20 de janeiro de 2010 | 14h04

Na sexta-feira, o governo norte-americano ofereceu proteção aos haitianos que vivem no país sem documentação sob um programa conhecido como Status de Protegido Temporário.

Uma pessoa com esse status pode permanecer no país por 18 meses sem risco de ser deportada e, após uma revisão do caso, pode obter permissão temporária de trabalho.

Um chefe de imigração advertiu, porém, que apenas haitianos que já viviam nos Estados Unidos antes do terremoto podem receber tal status. Aqueles que tentarem entrar no país ilegalmente "não terão sucesso e serão repatriados", disse Mayorkas. Cerca de 1,2 milhão de imigrantes haitianos vivem legalmente nos Estados Unidos. Os requerimentos para o status começarão a ser recebidos amanhã.

Aqueles que não puderem pagar os US$ 130 de taxa, valor que sobe para US$ 470 para os que pedem permissão para trabalhar, podem requerer isenção do pagamento, disse Mayorkas.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
HaititerremotoEstados Unidosasilo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.