Atentado à bomba deixa 18 civis mortos no Afeganistão

Um atentado à bomba matou 18 civis no Afeganistão, a maior parte mulheres, após atingir um pequeno ônibus que voltava de uma cerimônia de casamento no distrito de Andar, o oeste da província de Ghazni. O vice-chefe da polícia da província, coronel Asadullah Ensafi, disse que a explosão aconteceu logo após o ônibus atravessar de um vilarejo para o outro antes do anoitecer. Segundo o coronel, 14 mulheres morreram, três homens e uma criança. Além dos mortos, outras cinco mulheres ficaram feridas, duas em estado grave.

Agência Estado

27 de outubro de 2013 | 18h26

Andar é um dos poucos distritos de Ghazni onde o Taleban possui certo controle e frequentemente ataca forças de segurança, na maioria das vezes com bombas deixadas nas ruas. Este tipo de atentado é o preferido pelo Taleban e responsável pela maioria das mortes de civis.

Em nota divulgada, a Força Internacional de Assistência à Segurança liderada pela Organização do Atlântico Norte (Otan) condenou o ataque, dizendo que "lutará contra extremistas que agem sem dó e colocam em risco a vida de mulheres e inocentes".

As Nações Unidas disseram que nos primeiros seis meses deste ano, 1,319 mil civis foram mortos e outros 2,533 feridos no conflito afegão que dura 12 anos.

No começo do domingo, uma bomba, aparentemente tendo um grupo de soldados como alvo, matou um civil em um mercado no centro da capital, Kabul. O porta-voz do Ministério Defesa do Afeganistão, general Mohammad Zahir Azimi, disse que a bomba explodiu quando militares esperam por um veículo para levá-los ao trabalho. Cinco soldados ficaram feridos, segundo o porta-voz. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoatentadocivis morrem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.