Atentado à embaixada da Índia em Cabul mata 41

Um carro-bomba explodiu hoje em frente à Embaixada da Índia em Cabul, resultando na morte de 41 pessoas. O atentado, realizado por um militante suicida, aparentemente foi o mais mortífero realizado na capital do Afeganistão desde a queda do regime liderado pela milícia fundamentalista islâmica Taleban, no fim de 2001.Dois veículos diplomáticos que entravam na embaixada no momento do ataque foram atingidos pela explosão, que ocorreu perto do local onde dezenas de afegãos fazem fila diariamente para requisitar vistos. Diversas lojas próximas foram danificadas ou destruídas e a rua estava coberta de destroços. Em Nova Délhi, um funcionário do Ministério das Relações Exteriores da Índia informou que quatro indianos morreram no ataque, inclusive o adido militar da embaixada e um diplomata. A explosão também matou cinco afegãos que faziam a segurança da Embaixada da Indonésia em Cabul, situada perto da indiana, informou a chancelaria da nação insular. Mulheres e crianças que estavam nas lojas vizinhas ao local estão entre as vítimas que ficaram no chão, cobertas de sangue e em agonia, gritando por socorro. O presidente do Afeganistão, Hamid Karzai, condenou o atentado e disse ao primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, que fará o máximo possível para encontrar e punir os mentores da ação. O ministro do Interior do Afeganistão acusou a inteligência paquistanesa de apoiar o ataque. O chanceler do Paquistão, Makhdoom Shas Mahmood Qureshi, disse que o seu país condena o atentado de hoje e o terrorismo em todas as suas expressões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.