Atentado a faca mata 1 e põe Londres em alerta

Logo após atacar suposto militar na capital, agressor dá depoimento em vídeo amador

LONDRES, O Estado de S.Paulo

23 de maio de 2013 | 02h07

Um ataque com objetivos terroristas no sul de Londres, perto de uma base militar, deixou ontem um morto e dois suspeitos feridos a tiros pela polícia. Com um facão e as mãos ensanguentadas, um dos agressores falou a uma câmera segundos após ter esfaqueado a vítima, aparentemente um soldado fora de serviço. As imagens colocaram a capital britânica em alerta.

"Juramos pelo todo-poderoso Alá que nunca deixaremos de lutar contra vocês. Só fizemos isso (o ataque) porque muçulmanos estão morrendo todo dia. Esse soldado britânico... É olho por olho, dente por dente", grita o homem no vídeo amador transmitido pela rede ITV. No fundo da imagem, o corpo da vítima aparece estendido sobre o asfalto.

Os serviços de segurança de Londres imediatamente acionaram seu plano antiterror, conhecido como "Cobra".

O mesmo vídeo, editado, mostra depois o agressor e um homem que também teria participado da ação baleados no chão. Eles foram levados a um hospital e, de acordo com informações iniciais, um estava em estado grave.

O agressor, com o facão na mão, desculpa-se na gravação por ter obrigado "mulheres a ver isso hoje". "Mas, em nossa terra, nossas mulheres veem a mesma coisa. Vocês nunca estarão a salvo. Removam seu governo, ele não liga para vocês", continua ele, antes de atravessar a rua em direção a seu suposto comparsa. Não se esclareceu a nacionalidade dos agressores.

O homem que teria filmado o ataque deu uma entrevista à rede ITV, sem ser identificado, dizendo que registrava a cena quando o agressor se aproximou dele e pediu que não desligasse a câmera. Em seguida, começou a discursar sobre os motivos do assassinato.

Fúria. A uma rádio londrina, uma testemunha disse que a vítima do ataque tinha por volta de 20 anos. "Esses caras estavam loucos, eram animais. Arrastaram (a vítima) para o asfalto e deixaram o corpo no meio da rua", afirmou o homem, identificado apenas como James. Ainda segundo ele, um dos agressores tinha uma arma de fogo e ambos queriam ser filmados por pessoas que passavam.

A vítima morreu na hora, em razão de ferimentos na região do pescoço e da cabeça, segundo fontes médicas. Ela usava uma camiseta em apoio a heróis de guerra britânicos e, aparentemente, foi atropelada pelos dois homens para, em seguida, ser atacada com o facão. No vídeo, pode-se ver um carro batido contra um poste.

O local do ataque fica a menos de 400 metros de uma instalação militar do regimento da Princesa de Gales e da unidade cerimonial das Tropas do Rei, conhecida por seus tradicionais soldados que fazem guarda por horas, imóveis sobre cavalos. / REUTERS, AP e NYT

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.