Atentado atribuído ao ETA mata militar na Espanha

A explosão de um carro-bomba hoje matou um militar e feriu seis pessoas no norte da Espanha, informou o Ministério do Interior. O grupo separatista basco ETA foi apontado como responsável pelo atentado. A bomba explodiu nas proximidades de uma base militar na cidade de Santoña. A vítima foi o general-de-brigada Luis Conde de la Cruz, de 46 anos, segundo uma porta-voz do ministério. Trata-se do terceiro atentado com um carro-bomba atribuído ao ETA em 24 horas. Em um dos casos, uma explosão em frente a uma delegacia feriu 10 pessoas no município de Ondarroa, na região basca.A Radio Nacional de España informou que a bomba de hoje foi detonada quando o militar saía da base, acompanhado de outras pessoas, por causa de um alerta de bomba feito em nome do ETA. O militar estava descansando na cidade costeira, em suas férias. Um dos seis feridos estava em estado grave, segundo a emissora de rádio SER. O ministro do Interior, Alfredo Pérez Rubalcaba, e a ministra da Defesa, Carme Chacón, viajaram até Santona.O ETA realiza desde 1968 uma campanha por um Estado basco independente, no norte da Espanha e no oeste da França. Os mais recentes atentados ocorreram dias depois que um tribunal espanhol determinou a proscrição de dois partidos políticos favoráveis à independência basca, por causa das relações dessas siglas com o ETA. O grupo já matou pelo menos 825 pessoas nas últimas quatro décadas. O ETA é considerado terrorista por Espanha, União Européia e Estados Unidos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.