Atentado com bomba mata sete no sudeste da Turquia

Após declarar cessar-fogo, curdos são suspeitos de ataque em cidade turca

Agencia Estado

19 Junho 2007 | 11h05

Uma explosão em uma rua comercial na manhã desta sexta-feira, 15, feriu sete pessoas em Diyarbakir, cidade de maioria curda, na Turquia, incluindo um oficial do Exército não comissionado. Guerrilhas curdas são suspeitas da responsabilidade pelo atentado. O artefato estava escondido com jornais e foi colocado em uma bicicleta, explodindo próximo a um ponto de ônibus. Um dos feridos, o proprietário de uma loja na região, está em estado grave. Líderes turcos estão debatendo o lançamento de uma ofensiva além da fronteira com o Iraque para combater os rebeldes curdos do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK, sigla em turco), acusados de cometer ataques contra civis e militares em território turco. Os rebeldes anunciaram um cessar-fogo unilateral nos ataques contra o governo turco no início desta semana, insistindo que o grupo adotaria apenas medidas defensivas contra o Exército turco. Na quinta-feira, guerrilhas mataram um oficial turco num confronto próximo da cidade de Karakocan, na província de Elazig. Em outro incidente, os rebeldes mataram um major e feriram dois soldados em um ataque com bomba perto de Yuksekova, província na fronteira com o Iraque e o Irã. Nos últimos meses, o exército turco reforçou sua presença na zona fronteiriça com o Iraque, para onde transferiu cerca de soldados 100 mil efetivos. A Turquia reivindica seu direito à "legítima defesa" para atuar no norte do Iraque, a partir de onde o PKK organizaria seus ataques, e reclama que as autoridades iraquianas e as forças de coalizão americanas dão cobertura aos militantes separatistas curdos.

Mais conteúdo sobre:
Turquia curdos atentado bomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.