REUTERS/Khalid al Mousily
REUTERS/Khalid al Mousily

Atentado com carro-bomba em Bagdá deixa ao menos 12 mortos e 30 feridos

Grupo jihadista Estado Islâmico assumiu autoria do ataque perpetrado por um suicida, que contornou barreiras de segurança e detonou um veículo com explosivos em meio a uma concentração de pessoas

O Estado de S.Paulo

06 de setembro de 2016 | 10h11

BAGDÁ - Pelo menos 12 pessoas morreram e cerca de 30 ficaram feridas em um atentado com carro-bomba realizado pelo grupo jihadista Estado Islâmico (EI) em um bairro de maioria xiita do centro de Bagdá, segundo oficiais do país.

Uma fonte da polícia iraquiana informou nesta terça-feira, 6, que o atentado aconteceu pouco antes da meia-noite local (18h em Brasília) perto do hospital Doutor Abdel Hamid, situado no distrito comercial de Al Karrada, castigado recentemente por ações terroristas.

A explosão provocou o incêndio de dezenas de carros e lojas, assim como destroços em edifícios residenciais da região.

O EI reivindicou a autoria do atentado, destacando que o alvo era "uma concentração de renegados", uma das fórmulas com a qual os extremistas sunitas se referem aos xiitas. Por meio de um site de propaganda jihadista, os extremistas afirmaram que o suicida pôde contornar as barreiras de segurança e detonar o veículo com explosivos, que conduzia em meio a um grupo de pessoas.

Al Karrada ainda não se recuperou do atentado ocorrido no começo de julho, que causou a morte de mais 300 pessoas, em sua maioria mulheres e crianças, e danos materiais avaliados em milhões de dólares.

Na ocasião, o suicida detonou um veículo carregado de explosivos frente a uma famosa sorveteria da avenida principal de Al Karrada, quando os cidadãos realizavam suas compras para a festividade muçulmana do Eid ul-Fitr, com a qual termina o mês do Ramadã. / EFE, AFP e ASSOCIATED PRESS

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueBombaBagdá

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.