Atentado com carro-bomba mata 18 e fere 82 em Bagdá

Um carro-bomba matou pelo menos 18 pessoas e feriu dezenas hoje em um ataque contra uma instalação da polícia no centro de Bagdá, segundo funcionários. Um dia antes, vários hotéis da capital do Iraque haviam sido alvos de atentados suicidas. Funcionários disseram que a maioria dos mortos era formada por policiais que trabalhavam no escritório de investigação forense, na Praça Tahariyat, no bairro de Karradah, centro da cidade. Pelo menos 82 pessoas ficaram feridas, segundo autoridades.

AE-AP, Agencia Estado

26 de janeiro de 2010 | 09h23

Os ataques desta semana - todos contra alvos importantes e fortemente protegidos - representam um novo revés para a imagem do governo iraquiano. As autoridades tentam responder pelos lapsos de segurança que possibilitaram aos agressores cometerem grandes ataques no coração da capital, desde agosto.

Policiais e funcionários do setor de saúde disseram que o suicida desta terça-feira tentou dirigir uma picape por meio de um posto de controle e atingiu a parede do escritório da polícia. Entre os mortos confirmados estão 12 policiais e seis civis que visitavam o prédio de três andares. Segundo as autoridades, mais da metade dos feridos era de policiais.

O escritório atingido lida com informações coletadas em investigações criminais, incluindo impressões digitais e outros tipos de evidência. O local fica perto do principal escritório de investigação de crimes do Ministério do Interior, que lida com terrorismo.

Vários atentados contra sedes do governo ocorreram na capital do Iraque desde agosto. A instabilidade levanta dúvidas sobre a capacidade das forças locais para manter o país seguro. Ontem, vários hotéis frequentados por estrangeiros foram atacados em Bagdá, resultando em 41 mortes confirmadas e 106 feridos.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueatentadocarro-bombaBagdá

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.