AFP
AFP

Atentado contra empresa contratada pela ONU deixa 3 mortos no Mali

Três civis malineses foram mortos após ataque com carro-bomba reivindicado por grupo ligado à Al Qaeda; quatro estrangeiros ficaram feridos

O Estado de S.Paulo

13 Novembro 2018 | 03h00

BAMACO - Pelo menos três civis malineses morreram após um atentado com carro-bomba nesta segunda-feira, 12, em uma zona residencial da cidade de Gao, no norte do Mali. O ataque, reivindicado por um grupo ligado à Al Qaeda, também deixou outras quatro pessoas feridas.

De acordo com fontes diplomáticas no Mali, entre os feridos estão dois cambojanos, um sul-africano e um zimbabuano. Os quatro trabalhavam em uma empresa contratada pelo Serviço de Ação Contra Minas (UNMAS, em inglês) da Organização das Nações Unidas.

"Um veículo 4x4 entrou no pátio de um complexo residencial. A explosão da carga contida no veículo custou a vida de três civis e feriu outros, segundo um balanço provisório", afirmou o Ministério da Segurança e Proteção Civil local em comunicado.

A autoria do atentado foi reivindicada pelo Grupo de Apoio ao Islã e aos Muçulmanos, a principal aliança jihadista no Sahel, ligada à Al Qaeda.

Em 2012, o norte do Mali ficou sob controle de jihadistas ligados à Al Qaeda. Estes grupos foram em parte expulsos da região após uma operação militar liderada pela França em janeiro de 2013. Apesar disso, territórios do país ainda estão fora do controle das autoridades malinesas, francesas e da ONU. \ AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.