Atentado contra escola mata 1 aluna e fere 7

Uma bomba explodiu ontem diante de uma escola feminina na cidade de Brindisi, sul da Itália, matando uma estudante de 16 anos e deixando outras sete feridas. Uma das alunas, em estado grave, foi submetida a uma cirurgia. As suspeitas recaíram sobre a máfia local, pois o colégio leva o nome da mulher do juiz antimáfia Giovanni Falcone. Em 23 de maio de 1992, a máfia siciliana detonou 500 quilos de dinamite na passagem do automóvel de Falcone, matando o juiz, a mulher dele - Francesca - e três seguranças.

O Estado de S.Paulo

20 Maio 2012 | 03h02

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.