Atentado contra oleoduto deixa 13 feridos na Colômbia

Um atentado com explosivos supostamente feito pelo grupo guerrilheiro Exército da Libertação Nacional (ELN) no noroeste da Colômbia deixou 13 pessoas feridas, informaram autoridades nesta segunda-feira.

AE, Agência Estado

30 de junho de 2014 | 13h49

O ataque ocorreu às 4h da tarde de domingo em Caño Limón, departamento de Arauca e a cerca de 450 quilômetros ao noroeste de Bogotá, relatou o ministro das Minas e Energia da Colômbia, Amilkar Acosta.

"É a primeira vez que ocorre um atentado desses contra as instalações do campo de operação do oleoduto", disse o ministro, que informou ainda que o ataque foi cometido com bombas de cilindro.

O ministro informou ainda que o atentado ocorreu no momento em que se realizava uma missa. Entre os 13 feridos, todos fora de perigo, se encontra o sacerdote que participava do ato religioso.

Seis dos lesionados foram levados à capital colombiana, afirmou Acosta, que recordou ainda que foram realizados 39 ataques este ano contra o oleoduto Caño Limón-Coveñas, que tem 780 quilômetros.

Acosta atribuiu o atentado aos guerrilheiros do ELN "porque é sua zona de influência, porque eles estão indignados com o oleoduto e porque estão comemorando 50 anos de sua fundação".

Recentemente, o governo do presidente recém-eleito Juan Manuel Santos e o ELN anunciou que havia iniciado a fase exploratória para um eventual processo de negociação. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Colômbiaviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.