Atentado contra ônibus no Sri Lanka mata 21 pessoas

Outras 40 ficaram feridas; guerrilha dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil é responsabilizada pelo ataque

Efe,

06 de junho de 2008 | 03h11

Pelo menos 21 pessoas morreram e outras 40 ficaram feridas nesta sexta-feira, 6, após a explosão de uma bomba na passagem de um ônibus nos arredores de Colombo (Sri Lanka), informou à Efe uma fonte militar. O atentado foi cometido por volta das 07h30 no horário local (23h30 de Brasília), próximo à Universidade de Moratuwa, situada 20 quilômetros ao sul da capital do país. "A explosão foi obra da guerrilha dos Tigres de Libertação da Pátria Tâmil (LTTE), com certeza", disse por telefone a fonte. O ônibus circulava pela estrada que une as cidades de Pilyandala e Kaddupeda na hora da explosão da bomba, que estava escondida entre arbustos e foi ativada por controle remoto, segundo o jornal cingalês "The Daily Mirror". O porta-voz assegurou que a Polícia se encontra no local da explosão, e já iniciou as investigações, enquanto os feridos foram transferidos para hospitais próximos. A guerrilha tâmil realiza uma campanha de atentados contra os meios de transporte públicos para fazer ouvir suas exigências, sobretudo na capital do país. Os guerrilheiros lutam há mais de duas décadas para conseguir um Estado independente nas regiões Leste e Norte do país, onde a etnia tâmil é majoritária frente à cingalesa, que domina o resto do país. Em 16 de janeiro, o Governo rompeu unilateralmente os acordos de cessar-fogo assinados em 2002, e levou o país de volta ao estado de guerra, embora na realidade os combates entre o Exército e a guerrilha já fossem constantes.

Mais conteúdo sobre:
Sri Lankaatentadoexplosão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.