Atentado contra presidente do Paquistão mata 14 pessoas

Duas bombas, carregadas por terroristas suicidas, explodiram hoje poucos minutos depois de o presidente do Paquistão, Pervez Musharraf, passar pelo local. Essa é a segunda tentativa de assassinato do presidente paquistanês em 11 dias, segundo fontes oficiais. O carro de Musharraf não sofreu dano algum; 14 pessoas que passavam pelo local morreram. O atentado ocorreu apenas um dia depois de Musharraf ter concordado em deixar o posto de comandante das Forças Armadas no final do ano que vem. ?Foi uma tentativa de assassinato do presidente; foi um ataque suicida?, informou o general Shaukat Sultan, porta-voz do comando das Forças Armadas do Paquistão. Ele contou que dois homens-bomba detonaram explosivos escondidos em picapes em Rawalpindi, uma cidade próxima da capital paquistanesa, Islamabad. ?Graças a Deus o presidente e os membros de sua comitiva estão salvos?, disse o ministro da Informação, Rashid Ahmed, em rápido pronunciamento na TV. Ahmed afirmou que o vidro traseiro da limousine presidencial chegou a ser atingido, mas o veículo prosseguiu o caminho. Segundo Abdur Rauf Chaudry, porta-voz do Ministério do Interior, a explosão deixou 14 mortos, aparentemente pessoas que passavam pelo local.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.