Atentado contra procissão xiita mata 7 no Paquistão

A explosão de uma bomba em meio a uma procissão xiita no Paquistão matou ontem sete pessoas, incluindo quatro crianças. As forças de segurança paquistanesas entraram em alerta máximo em razão de temores de uma escalada de violência sectária no país. O ataque ocorreu na cidade de Dera Ismail Khan, reduto da rede terrorista Al-Qaeda, que é de orientação sunita.

ISLAMABAD, O Estado de S.Paulo

25 de novembro de 2012 | 02h08

O explosivo foi armado sob o sistema de controle remoto de uma TV, de acordo com a polícia local. A força da detonação foi tão grande que arremessou um jovem contra o telhado de uma casa. Equipes de resgate conseguiram retirar metade do seu corpo da residência, enquanto policiais vasculharam o local com detectores de metal temendo que outra bomba estivesse instalada. Além das sete vítimas, outras 30 pessoas ficaram feridas.

O Paquistão proibiu o uso de celulares em suas principais cidades durante o fim de semana, um dos mais importantes do ano para o calendário xiita. Nós últimos dias, os aparelhos foram usados para detonar algumas bombas em uma série de atentados contra os fiéis - em novembro, os xiitas comemoram o Muharram, o aniversário da batalha em que o neto do profeta Maomé teria sido morto.

Sunitas e xiitas discordam sobre quem seria o verdadeiro herdeiro de Maomé. No Paquistão, extremistas têm protagonizado uma longa história de violência sectária em que os dois lados foram responsáveis por diversos atentados. Nos últimos anos, a maioria dos ataques têm atingido os xiitas, que são minoria no país. / AP e REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.