Atentado contra tribunal mata dois seguranças no Iraque

A explosão de uma bomba colocada perto de um tribunal de Tikrit, cidade iraquiana natal de Saddam Hussein, matou hoje dois seguranças. Funcionários do tribunal civil descobriram duas bombas perto da entrada do prédio enquanto as pessoas chegavam para trabalhar de manhã.

AE-AP, Agência Estado

18 de agosto de 2010 | 10h47

As autoridades evacuaram o local, mas uma das bombas explodiu, matando dois dos guardas e ferindo três civis. Não está claro se a primeira bomba estava programada para ser detonada ou se houve falta de cuidado. A polícia disse que desativou a segunda bomba.

Também hoje, um homem armado matou um funcionário do Ministério de Habitação de Reconstrução quando ele ia de carro para o trabalho, no oeste de Bagdá.

No bairro de Zayouna, leste da capital iraquiana, Ali al-Moussawi, chefe do comitê que cuida da distribuição de derivados de petróleo em Bagdá, seus dois guarda-costas e um pedestre ficaram feridos quando uma bomba explodiu na rua, durante o horário de rush matutino. Segundo um funcionário do Ministério do Petróleo, Moussawi sofreu ferimentos leves.

Os atentados ocorreram um dia depois de um suicida ter matado 61 recrutas do Exército no centro de Bagdá, no que foi o pior ataque em meses realizado na capital. A ação, que autoridades dizem ter sido perpetrada pela Al-Qaeda, representa um problema para o Exército iraquiano, que afirma ao país que pode preencher a lacuna que será deixada pela saída dos militares norte-americanos. Até o fim deste mês, apenas 50 mil soldados dos Estados Unidos permanecerão no país - e a participação deles se limitará a algumas operações.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraqueatentadotribunalseguranças

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.