Atentado danifica maior oleoduto da Colômbia

Rebeldes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) dinamitaram na noite desta quarta-feira o oleoduto Caño Limón-Coveñas, o mais importante da Colômbia, onde cerca de 70 militares norte-americanos fazem intercambio com soldados colombianos, em Arauca, a 300 km de Bogotá. Segundo a polícia, a explosão obrigou a suspensão temporária do bombeamento de petróleo. Técnicos da estatal Empresa Colombiana de Petróleos (Ecopetrol) estão no local para avaliar as conseqüências e reparar os danos.O oleoduto Caño Limón-Coveñas, de 780 km, transporta diariamente 105 mil barris de petróleo, uma das principais fontes de renda do país. Arauca sofre desde o início deste ano freqüentes atentados atribuídos às Farcs e aos rebeldes do Exército de Libertação Nacional (ELN), que no mês passado explodiram quatro carros-bomba na região, matando 12 pessoas. Nesta quarta-feira, o governo da Colômbia prorrogou pela segunda vez o estado de exceção que está em vigor desde agosto do ano passado. Segundo o presidente colombiano, Álvaro Uribe, o país ainda vive uma ?grave perturbação de ordem pública?. O novo prazo vai vigorar por mais 90 dias. O estado de emergência ou exceção dá poderes especiais ao governo para enfrentar os grupos armados ilegais. A violência no país mata em média 3.500 pessoas por ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.