Atentado deixa 27 mortos no Paquistão

Um terrorista suicida detonou explosivos dentro do carro em que estava ao se aproximar de um posto policial no Paquistão, perto da cidade de Hangu, matando pelo menos 27 pessoas, segundo informações oficiais.

AE-AP, Agencia Estado

18 de abril de 2009 | 19h22

Os ataques terroristas têm aumentado por todo Paquistão, sendo que a situação é mais violenta ao longo da fronteira com o Afeganistão, onde fugitivos da Al Qaeda, talvez até mesmo Osama bin Laden, encontram refúgio. Pelo menos 25 membros das forças de segurança paquistanesa bem como dois civis morreram. Mais de 62 pessoas ficaram feridas.

O primeiro-ministro Yousuf Raza Gilani condenou o ataque, que classificou como "ato covarde de terrorismo", e disse que o governo irá usar "mão de ferro" contra terroristas e extremistas.

O Paquistão tem sofrido forte pressão internacional para desmantelar grupos islâmicos extremistas, que são acusados de ataques sangrentos no Afeganistão, Paquistão e Índia.

O país recebeu mais de US$ 5 bilhões dos Estados Unidos, Japão e Arábia Saudita, na sexta-feira, para impulsionar a economia paquistanesa, além de aliviar a pobreza e reforçar o sistema de segurança, dois fatores que têm facilitado a ação dos extremistas. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
PAQUISTÃOATENTADOATUALIZA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.