Atentado deixa 41 mortos no Afeganistão

Um atentado suicida matou ontem 41 pessoas em uma mesquita uma região relativamente pacífica do norte do Afeganistão, no momento em que fiéis reuniam-se para as orações que marcam o feriado islâmico Eid al-Adha. O ataque em Maimana, capital da Província de Faryab, também feriu 40 pessoas, de acordo com o chefe da polícia regional, general Abdul Khaliq Aqsai, que colocou a culpa no Taleban.

CABUL, O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2012 | 03h12

Um porta-voz do grupo extremista disse ontem que havia uma investigação interna para descobrir quem era responsável. "O homem-bomba detonou os explosivos quando nossos compatriotas estavam cumprimentando-se pelo feriado ", disse o porta-voz da polícia no norte do Afeganistão, Lal Mohamed Ahmadzai. Metade das vítimas era de policiais.

Ele disse que Aqsai parecia ser o alvo. "Logo que o chefe de polícia entrou em seu veículo, o homem-bomba detonou seus explosivos", disse Ahmadzai. Cerca de 20 corpos, alguns em uniformes de polícia, estavam no chão em frente aos portões da mesquita, enquanto a fumaça subia.

O ataque, que ocorreu no início da manhã, no primeiro dia do feriado islâmico. A ação coincidiu com o pedido do presidente Hamid Karzai para que o Taleban se una ao governo. "Se vocês querem vir para o governo, são bem-vindos. Vocês têm direitos como afegãos e como muçulmanos", afirmou Karzai, em discurso para marcar o início do feriado.

Os governos afegão e americano tentam negociar a paz em separado com o Taleban, uma vez que o prazo de 2014 para a retirada das tropas estrangeiras se aproxima. Em comunicado, Karzai condenou o ataque à mesquita. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.