Atentado deixa parte da Colômbia sem energia

O departamento (Estado) colombiano de Arauca, na fronteira com a Venezuela, completou hoje seu terceiro dia sem energia elétrica, devido à destruição de uma torre transmissora, e as autoridades militares continuam em alerta sobre possíveis ações da guerrilha. O governador de Arauca, José Emiro Palencia, autorizou os prefeitos dos sete municípios da região a adotarem o toque de recolher, como medida preventiva de segurança. A medida ficará em vigor diariamente a partir das 21h00 (hora local) em todo o território enquanto durar a emergência por falta de energia elétrica, indicou o governador Palencia. Na cidade de Arauca, capital do departamento de mesmo nome, 450 km a nordeste de Bogotá, o toque de recolher foi decretado na quarta-feira à noite. Na terça-feira, primeiro dia do blecaute, desconhecidos lançaram explosivos contra a base da Marinha em Arauca.Os atacantes fugiram de motocicleta após evitarem os postos de controle militares em alguns pontos do município de Arauca - que, como parte da "zona de reabilitação", está sob controle das forças governamentais. Dois outros municípios da zona sob comando militar, Saravena e Arauquita, vêm sendo castigados há anos pelos grupos guerrilheiros de esquerda e paramilitares. O comandante das tropas na região, general do Exército Carlos Lemus, informou que adotou medidas extra de segurança logo após o atentado e proibiu os motociclistas de viajarem com acompanhantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.