Atentado deixa pelo menos 19 mortos no Afeganistão

Três suicidas explodiram veículos cheios de explosivos nesta quinta-feira, provocando a morte de pelo menos 19 pessoas. Os ataques quase simultâneos na província de Uruzgan foram os últimos episódios de violência no volátil sul do país desde a morte do meio-irmão do presidente Hamid Karzai, Ahmed Wali Karzai, na vizinha Kandahar.

AE, Agência Estado

28 de julho de 2011 | 14h59

O Taleban assumiu a responsabilidade pelos ataques, que tiveram como alvo a casa do governador, a central da polícia e um terceiro escritório usado por um conhecido funcionários de uma empresa de segurança privada na capital da província, Tarin Kot. Um porta-voz do Taleban, Qari Yousef Ahmadi, disse à Associated Press que seis suicidas participaram do ataque.

Relatos iniciais indicavam que foram sete explosões, mas não estava claro o que provocou as explosões, disse o porta-voz provincial Milad Ahmad Mudasir. O doutor Khan Agha Miakhail, diretor do hospital de Tarin Kot, disse que 19 pessoas, incluindo dez crianças, um policial e duas mulheres, morreram e que 37 pessoas ficaram feridas. O ataque aconteceu um dia depois de um suicida ter matado o prefeito de Kandahar, Ghulam Haider Hamidi. O Ministério do Interior do Afeganistão disse que 21 pessoas foram mortas e 38 feridas.

Também nesta quinta-feira, um soldado da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) foi morto por uma bomba que estava à margem de uma estrada no leste afegão, elevando o número de tropas internacionais mortas no país para 45 neste mês, segundo contagem da AP.

Também no sul do Afeganistão, um policial e um civil foram motos quando a polícia trabalhava na detonação de bombas colocaras à beira de estradas em Lashkar Gah, capital da província de Helmand, informou Daud Ahmadi, porta-voz provincial. Moradores locais informaram a polícia sobre a localização da bomba. Depois que ela foi removida, uma segunda explodiu, disse ele. Outras duas pessoas ficaram feridas.

As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
AfeganistãoViolênciaKarzaiUruzgan

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.