Atentado em hotel de Mogadiscio mata 33 e deixa mais de 40 feridos

SOMÁLIA

, O Estado de S.Paulo

25 de agosto de 2010 | 00h00

Militantes do grupo radical Al-Shabab mataram a tiros pelo menos 33 pessoas, incluindo 6 parlamentares, em um ataque contra um hotel de Mogadíscio. Mais de 40 pessoas ficaram feridas. De acordo com testemunhas, três homens vestidos com uniforme militar invadiram o Hotel Muna e começaram a atirar contra as pessoas que estavam no restaurante do estabelecimento. Depois do ataque, forças de segurança isolaram o hotel e interditaram as ruas próximas. Houve troca de tiros e dois militantes teriam ainda se explodido para evitar a prisão. No início da semana, o Al-Shabab prometeu lançar uma guerra contra os "invasores", em referência aos 6 mil soldados da União Africana que protegem o frágil governo somali. Ontem, um porta-voz do grupo disse que o ataque ao hotel foi apenas o "início", afirmando que atentados "mais dolorosos" ocorrerão em breve. A Somália não tem governo efetivo desde 1991 e hoje vive em estado de conflito entre clãs tribais, senhores da guerra e milícias islâmicas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.