Atentado em NY sinaliza uso de métodos simples

O frustrado atentado com carro-bomba na Times Square, em Nova York, pode ser apenas o primeiro por parte de grupos terroristas que buscam impedir a descoberta, usando métodos mais simples e planejados de modo independente, segundo autoridades norte-americanas antiterrorismo. O ataque é um possível sinal de que líderes militantes no Paquistão mudaram o foco para alvos nos Estados Unidos e em outros países ocidentais, acrescentaram as fontes, que pediram para não serem identificadas, já que não tinham permissão para discutir o assunto publicamente.

AE-AP, Agência Estado

08 Maio 2010 | 15h25

Investigadores e agências de inteligência norte-americanas estão tentando definir se o acusado pela operação, Faisal Shahzad, foi treinado ou recrutado por qualquer organização terrorista, incluindo o Taleban. Shahzad, cidadão americano de origem paquistanesa, ficou cinco meses no Paquistão antes de retornar aos Estados Unidos em fevereiro e preparar o ataque. Ele disse aos investigadores que treinou nas áreas tribais do Waziristão, onde tanto o Al-Qaeda como o Taleban atuam.

O rapaz foi preso quando embarcava em um voo da companhia Emirates Airlines com destino a Dubai. Uma autoridade militar sênior disse que investigadores acreditam que Shahzad tenha sido submetido a um treinamento para construção de bombas no Paquistão, patrocinado parcialmente por elementos do Taleban. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
NY atentado terrorismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.