Atentado em prédio da ONU deixa 18 mortos na Nigéria

Dezenas de pessoas ficaram feridas; governo nigeriano acusa extremistas islâmicos.

BBC Brasil, BBC

26 de agosto de 2011 | 12h39

Um atentado a bomba contra o prédio da ONU na capital da Nigéria, Abuja, deixou pelo menos 18 mortos e feriu dezenas de pessoas nesta sexta-feira.

Nenhum grupo assumiu até agora a autoria do ataque, mas o governo atribuiu o atentado a "terroristas islâmicos". Grupos extremistas realizaram uma série de outros atentados na cidade recentemente.

Um funcionário da ONU disse à BBC, sob condição de anonimato, que a entidade recebeu informações no mês passado de que poderia ser alvo do grupo islâmico Boko Haram.

O funcionário disse ainda que a segurança foi reforçada em todas as instalações da ONU na Nigéria após o recebimento da informação.

Em junho, o Boko Haram detonou um carro-bomba no quartel-general da polícia em Abuja. O grupo quer o estabelecimento da sharia (lei islâmica) na Nigéria.

No entanto, um porta-voz da ONU reiterou que não está claro ainda quem foi o responsável pelo ataque, e investigadores devem ainda examinar as evidências no local.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, classificou o ocorrido como "um ataque contra os que devotam suas vidas a ajudar outros" e afirmou estar enviando dois auxiliares para a Nigéria.

O ataque

O prédio abriga 26 agências humanitárias e de desenvolvimento, além de ser local de trabalho para cerca de 400 empregados da ONU. Não está claro quantas pessoas estavam dentro de suas dependências no momento da explosão.

A área ao redor do prédio foi isolada. Serviços de emergência iniciaram a retirada dos corpos do prédio, enquanto um grande número de feridos era levado ao hospital.

Escavadoras também foram deslocadas para o local para retirar a grande quantidade de destroços.

O ataque desta sexta-feira ocorreu por volta das 11h (horário local). Houve uma forte explosão, e era possível ver uma coluna de fumaça que saía do prédio.

"Vi corpos espalhados", disse Michael Ofilaje, funcionário do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef). "Muitas pessoas morreram". Ofilaje acrescentou que a explosão "ocorreu no porão e sacudiu o prédio".

A ministra nigeriana das Relações Exteriores, Viola Onwuliri, disse à BBC, após visitar o local atingido, que "não foi um ataque contra a Nigéria, mas contra a comunidade global".

No início do mês, o militar americano de mais alta patente em atuação na África, o general Carter Ham, disse que muitas fontes indicam que há cooperação entre o Boko Haram e a Al-Qaeda no norte da África.

Se a informação for conformada, a união daria ao grupo nigeriano os meios para a realização de duros ataques, segundo o analista da BBC para a África Martin Plaut.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
onunigériaatentadoabujaboko haram

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.