Atentado foi conspiração sofisticada, dizem búlgaros

Um grupo sofisticado de conspiradores planejou o atentado suicida que matou cinco israelenses e um búlgaro, afirmou nesta terça-feira o primeiro-ministro do país, Boiko Borisov. Eles passaram um mês na Bulgária antes do ataque, disse ele.

AE, Agência Estado

24 de julho de 2012 | 11h44

Os comentários de Borisov confirmam as suspeitas de que o terrorista que explodiu o ônibus cheio de turistas israelenses não agiu sozinho. O primeiro-ministro não forneceu mais detalhes, nem mesmo o número de envolvidos no atentado ocorrido na última quarta-feira. Ele também não quis confirmar as alegações de Israel de que o Irã e o grupo militante Hezbollah participaram do ataque.

Os envolvidos utilizaram "veículos alugados, transitaram em cidades diferentes para não serem vistos juntos, e em nenhuma ocasião dois deles foram filmados por câmeras de segurança no mesmo lugar", disse Borisov, ao lado do chefe de contraterrorismo da Casa Branca, John Brennan.

Brennan descreveu as pessoas por trás da explosão como "excepcionalmente habilidosas" e disse que operaram sob "regras estritas de conspiração". Borisov também afirmou que amostras de DNA do homem-bomba foram compartilhadas com todo as agências de segurança parceiras, mas nenhuma correspondência foi encontrada.

"Não existiu nenhuma chance de se prevenir tal ato de violência", insistiu o primeiro-ministro. "Só poderíamos ter detectado por um acaso ou se tivéssemos sido informados por outros serviços de inteligência."

Brennan também evitou culpar o Irã e o Hezbollah, ambos inimigos mortais dos Estados Unidos, apesar de ter lembrado que Teerã e o grupo libanês já estiveram envolvidos em ataques contra civis no passado. Ele afirmou que os EUA apoiam os esforço da Bulgária em encontrar os responsáveis.

O atentado suicida aconteceu na cidade turística de Burgas, próxima ao mar Negro. Os turistas haviam saído do aeroporto aeroporto e embarcavam no ônibus que os levaria até o hotel quando o homem-bomba detonou a explosão. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
BulgáriaIsraelAtentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.