Atentado mata 10 civis durante desfile militar no Irã

Pelo menos dez pessoas morreram e mais de 50 ficaram feridas nesta quarta-feira no Irã, devido à explosão de uma bomba durante um desfile militar. A explosão ocorreu na cidade de Mahabad, perto da fronteira entre Iraque e Turquia, segundo informações da imprensa iraniana. O governo local atribuiu o atentado a separatistas curdos, que lutam contra as forças iranianas há décadas.

AE-AP, Agência Estado

22 de setembro de 2010 | 08h47

A maioria das vítimas era formada por mulheres e crianças, afirmou o governador provincial Vahid Jalalzadeh, citado pela rádio estatal do país. As forças do Irã na zona fronteiriça enfrentam rebeldes curdos da ala iraniana do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), que também possui combatentes na Turquia e no Iraque.

Jalalzadeh disse que a explosão foi obra de "contrarrevolucionários", referindo-se ao PKK, e qualificou o ataque como "um incidente terrorista". O desfile foi um dos vários atos em todo o país para comemorar o 30º aniversário do início da guerra entre Irã e Iraque. Não houve militares feridos, segundo Jalalzadeh.

O PKK não costuma atacar civis em sua luta por mais direitos para a minoria curda. Uma hipótese é que a bomba tenha explodido antes do pretendido pelos autores do ataque. Um informe da rádio estatal afirma que o dispositivo detonado continha um cronômetro e estava debaixo de um arbusto, perto da rota do desfile.

A cidade de Mahabad tem 190 mil habitantes, em sua maioria curdos e sunitas. O Irã é um país de maioria xiita. Mahabad já foi considerada a capital da autoproclamada república do Curdistão no Irã, mas as Forças Armadas nacionais recuperaram a cidade em 1946.

Tudo o que sabemos sobre:
Irãatentadocurdosdesfile militar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.