Atentado mata 18 funcionários da guarda iraniana

Dezoito pessoas foram mortas nesta quarta-feira, 14, quando um carro cheio de explosivos foi detonado perto de um ônibus que pertencia à Guarda Revolucionária do Irã, no sudeste do país, onde as forças de segurança e grupos armados normalmente entram em conflito. A informação é da agência de notícias Irna. Outras agências de notícias relataram que o número de mortos é menor, e uma autoridade no gabinete do governo na cidade de Zahedan, onde a explosão aconteceu, disse que o número exato de vítimas fatais ainda não está claro. Segundo a agência de notícias Associated Press nenhum grupo assumiu a responsabilidade pelo atentado e o governo acredita que insurgentes tenham detonado os explosivos. No entanto, um grupo que o Irã havia anteriormente classificado como ligado à Al-Qaeda assumiu a responsabilidade pela bomba, segundo a agência de notícias semi-oficial Fars."Há alguns minutos, um grupo chamado Jundollah, sob a liderança de Abdolmalek Rigi, os rebeldes orientais no país (...) assumiu a responsabilidade por este ato terrorista", noticiou a Fars. A bomba estava escondida em um carro e explodiu quando o ônibus passava. O veículo pertencia a uma unidade que transporta empregados da Guarda, mas não ficou claro se os mortos eram membros da Guarda. Insurgentes em ZahedanO vice-representante de Zahedan, Hossein Ali Shahriyari, disse nesta quarta-feira no Parlamento que a cidade é um lugar onde os traficantes e insurgentes se escondem e que pediu que o governo trate da questão com Islamabad O ministro do Interior iraniano, Soltan Ali Mir, disse que cinco supostos envolvidos na explosão já foram detidos. "Neste ato, 18 cidadãos de Zahedan foram martirizados. Rebeldes e aqueles que criam insegurança martirizaram essas pessoas em um ato terrorista ao fazerem uma armadilha perto de um ônibus", disse Qassim Rezau, comandante militar, segundo a Irna. Zahedan é uma cidade iraniana que fica perto da fronteira com o Paquistão e Afeganistão. Há conflitos na região entre forças de segurança e grupos armados envolvidos no tráfico de drogas e contrabando.A explosão aconteceu em um tempo de tensão entre os Estados Unidos e Irã sobre a questão de insurgentes no Iraque, além da polêmica questão envolvendo o programa nuclear iraniano.Este texto foi atualizado às 9h40

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.