Atentado mata 2 em Bogotá

Uribe culpa as Farc por bomba na entrada de uma loja Blockbuster que também deixou 20 feridos

AFP E EFE, O Estadao de S.Paulo

29 de janeiro de 2009 | 00h00

Duas pessoas morreram e outras 20 ficaram feridas na noite de terça-feira numa explosão no estacionamento de uma locadora da rede Blockbuster, em Bogotá. O governo colombiano atribuiu o atentado à guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc)."Lamentamos a morte de dois cidadãos nesse novo atentado terrorista contra Bogotá. Ele mostra mais uma vez a farsa das Farc, que falam de direitos humanos e de acordo humanitário e continuam a praticar extorsões e atos de terror", disse um comunicado do presidente colombiano, Álvaro Uribe, que está na Europa participando do Fórum Econômico Mundial. Até a noite de ontem, as Farc não se haviam pronunciado sobre o ataque. A explosão ocorreu às 21h05 locais num bairro de classe alta no norte da capital colombiana. Segundo o comandante da polícia de Bogotá, general Rodolfo Palomino, dois homens deixaram cinco quilos de explosivos num pacote na frente do estacionamento da locadora quando o local estava repleto de gente. Uma dezena de carros e as fachadas de algumas lojas também foram destruídas. Segundo o governo colombiano, os proprietários da Blockbuster atacada vinham sendo chantageados por membros das Farc, que tentavam obrigá-los a pagar "uma contribuição" para o grupo. Em 2008, outra locadora da rede foi atacada por rejeitar dar dinheiro à guerrilha. Em seu comunicado, Uribe anunciou a formação de uma "estrutura conjunta de inteligência" para combater a extorsão na Colômbia."Há uma intenção clara das Farc de ampliar sua ação terrorista", disse o ministro da Defesa, Juan Manuel Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.