Atentado mata ao menos 23 pessoas na embaixada iraniana no Líbano

Adido cultural da embaixada, Ebrahim Ansari, está entre os mortos, dizem fontes libanesas

O Estado de S. Paulo,

19 de novembro de 2013 | 07h52

Atentado destruiu seis andares do prédio da embaixada. Foto: Bilal Hussein / AP

 

BEIRUTE - Duas explosões contra a embaixada do Irã na capital libanesa, Beirute, deixaram ao menos 23 mortos e danificaram prédios da representação diplomática nesta terça-feira, 19, informaram fontes de segurança e da área médica.

O adido cultural da embaixada, Ebrahim Ansari, está entre os mortos, disseram fontes libanesas. O ministro da Saúde, Ali Hassan Kahli, disse que as explosões deixaram também 146 feridos.

Imagens ao vivo do local exibidas na televisão mostraram corpos queimados no chão e destroços de vários veículos em chamas. Equipes de resgate e moradores carregavam algumas vítimas em cobertores.

Não se sabia a princípio o que causou as explosões. Uma fonte de segurança disse que dois foguetes foram lançados na área, na parte sul da cidade, mas uma segunda fonte de segurança afirmou que houve uma explosão de carro-bomba.

As explosões são as mais recentes em uma série de ataques no Líbano, que tem sofrido as consequências da violência sectária entre xiitas e sunitas relacionada ao conflito de dois anos e meio na Síria.

Grupos rebeldes sunitas ligados à Al-Qaeda têm condenado repetidamente o envolvimento militar do Irã e de seu aliado paramilitar xiita Hezbollah, do Líbano, na guerra síria, o que contribuiu a favor do presidente Bashar Assad.

Mais conteúdo sobre:
IrãExplosãoEmbaixadaLíbano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.