Atentado mata dez durante visita de Rice

A secretária de Estado dos EUA, Condoleezza Rice, chegou neste sábado, 17, à Bagdá, capital do Iraque, para uma visita não anunciada. A 250 quilômetros dali, em Kirkuk, pelo menos dez pessoas morreram e 60 ficaram feridas na explosão de dois carros-bomba, o que abalou a sensação de segurança na cidade.Rice é a mais alta oficial a comparecer ao país desde a implantação do plano de segurança, no início deste mês. A visita faz parte de uma viagem que a secretária faz pelo Oriente Médio.Dentre as ações do plano de segurança, militares atuaram na revista de residências e veículos, além de ter presença reforçada nas ruas. O plano é visto por muitos como a última chance de conter a violência sectária que castiga o Iraque. O porta-voz do governo de Bagdá Qassim Moussawi disse que apenas 10 mortos foram encontrados na capital na sexta-feira, em contraste com o número médio diário que costuma ser de 40 a 50. Porém, o major-general Joseph Fil, comandante da Divisão Multinacional de Bagdá, disse na sexta-feira, 16, que a "paz" poderia durar apenas enquanto os insurgentes avaliassem a situação. As duas explosões deste sábado aconteceram em uma das maiores cidades petrolíferas do país, cuja população é um misto de curdos e árabes sunitas e xiitas.Um carro carregado de explosivos foi o primeiro ataque deste sábado. O motorista suicida guiou o veículo até uma área de grande movimento na cidade. A explosão destruí cerca de 20 lojas, segundo testemunhas.Ainda neste sábado, a secretária de Estado deve visitar o ministro do Exterior de Israel, Tzipi Livni.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.