Atentado mata mais de 40 pessoas no Líbano

País tem vivido onda de atentados sectários influenciados pelo conflito na Síria

O Estado de S. Paulo,

23 de agosto de 2013 | 09h21

Explosão abriu cratera no chão. Foto: Mohamed Azakir/ Reuters

(Atualizada às 15h40) TRÍPOLI, LÍBANO - Duas explosões em mesquitas nesta sexta-feira, 23, em Trípoli, deixaram ao menos 42 mortos e centenas de feridos. Uma explosão aconteceu junto à mesquita de Al-Taqwa e a outra na mesquita de As Salam.

O país vive uma onda de violência sectária, influenciada pelo conflito na Síria. As duas explosões parecem ter sido coordenadas e são as maiores desde o fim da guerra civil no Líbano.

Os feridos foram levados aos hospitais de Nini, Islâmico e Haykaliya da cidade, a mais importante do norte do Líbano e de maioria sunita. Segundo a Cruz Vermelha libanesa, ao menos 500 pessoas ficaram feridas.

Na cena das explosões, as televisões locais mostraram imagens de carros carbonizados, pessoas feridas ou mortas nas ruas, e crianças sendo retiradas do local em estado de comoção./ EFE e REUTERS

Assista ao vídeo da AP sobre os atentados:

Tudo o que sabemos sobre:
Líbanoatentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.