Atentado mata pelo menos 24 no noroeste do Paquistão

Explosão atingiu prédios oficiais em Hangu; grupo Taleban assumiu a autoria do ataque

BBC

26 de maio de 2011 | 13h42

ISLAMABAD - Pelo menos 24 pessoas morreram e mais de 30 ficaram feridas nesta quinta-feira em um atentado a bomba na cidade de Hangu, na província de Khyber-Pakhtunkhwa, no noroeste do Paquistão, segundo informa a polícia. O ataque ocorreu próximo a prédios oficiais localizados no centro da cidade.

Segundo o correspondente da BBC em Islamabad Aleem Maqbool, autoridades policiais afirmam que o autor do ataque estava conduzindo um veículo cheio de explosivos quando foi parado em um posto de checagem próximo a escritórios do governo e da polícia. Foi então que ocorreu a explosão.

Um policial afirma que pelo menos 15 lojas, incluindo um restaurante, foram totalmente destruídas. Testemunhas afirmam que a explosão foi tão forte que há o temor de que mais pessoas estejam sob os escombros.

Um porta-voz da polícia ouvido pela agência de notícias Reuters afirma que o número de mortos deve aumentar, devido à gravidade dos ferimentos das pessoas que sobreviveram.

Vingança por Bin Laden

A rede de televisão CNN afirma que o braço da milícia Taleban no Paquistão assumiu a autoria do atentado. O Taleban possui o controle de áreas tribais próximas à cidade onde ocorreu o ataque.

Recentemente, o Taleban assumiu a responsabilidade por outros ataques no Paquistão, alegando fazer parte de uma campanha para vingar a morte do líder da rede Al-Qaeda, Osama Bin Laden, ocorrida em uma ação de forças especiais americanas no país.

O correspondente da BBC diz, no entanto, que a violência no Paquistão - especialmente no noroeste do país - não começou somente com a morte de Bin Laden, ocorrida no início de maio.

Maqbool afirma que a população no noroeste paquistanês já se acostumou com os atentados a bomba ocorridos nos últimos anos.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoásiaterrorismoAtentado

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.