Atentado mata seis e fere deputada nos EUA

Jovem dispara contra equipe da democrata Gabrielle Giffords durante reunião com eleitores em um supermercado de Tucson, no Arizona

Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

09 de janeiro de 2011 | 00h00

Uma deputada do Partido Democrata foi gravemente ferida com um tiro na cabeça ontem em Tucson, no Arizona, em um atentado que matou pelo menos cinco pessoas e feriu dez. O atirador, Jared Lee Loughner, de 22 anos, abriu fogo com uma pistola durante reunião da parlamentar com eleitores em um supermercado. Morreram na ação um juiz federal e uma menina de nove anos. A hipótese mais forte é a de crime político.

Reeleita em 2 de novembro, Giffords representa no Congresso um distrito eleitoral do Arizona. Sua agenda estava dirigida a temas como reforma da imigração, assuntos militares, pesquisas com células-tronco e energia alternativa. Segundo amigos, ameaças contr ela eram comuns.

Dos internados, cinco permaneciam em estado grave, incluindo a deputada. Outros cinco passavam por procedimentos cirúrgicos. Segundo o médico Peter Rhee, Giffords reagiu bem à cirurgia e respondia a estímulos. Ele disse que ainda é cedo para falar em sequelas. A bala atingiu a lateral da cabeça, perfurou o crânio e saiu pelo outro lado.

O atirador, segundo testemunhas, fez cerca de 20 disparos, antes de ser dominado por um civil. Ele está preso em Tucson. Não há informação sobre o que motivou os ataques. Ontem à noite, foram divulgados vídeos de Loughner no site YouTube, nos quais ele reclama do analfabetismo no Arizona. Ele também deixou mensagens como "adeus, amigos", dando a entender que premeditara a ação.

O atentado ocorreu enquanto a deputada realizava uma reunião denominada "Congresso na sua Esquina" para debater os problemas do país com seus eleitores e outros moradores de seu distrito no Arizona. Todos os anos, a deputada organiza encontros próximo ao supermercado Safeway de Tucson, reunindo uma média de cem pessoas. Em 2009, uma pessoa foi detida por portar um revólver.

Giffords assumiu o cargo de deputada pela primeira vez em 2007. Aos 40 anos, ela foi reeleita em disputa apertada no ano passado. Na quarta-feira, estava em Washington na posse do novo Congresso. Na semana passada, Giffords concedeu entrevista à rede de TV Fox News sobre a proposta de redução de 5% no salário dos deputados americanos. Democrata em um Estado dominado pelos republicanos, a deputada se posicionou contra a polêmica lei anti-imigração aprovada no ano passado no Arizona.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.