Atentado palestino fracassa em Gaza

Um palestino tentou, sem sucesso, executar um atentado na manhã desse domingo, no povoado de Dahaniyeh, ao sul da Faixa de Gaza. O homem tentou bater com uma carroça puxada por um burro e carregada de explosivos em grupo de soldados reunidos em um posto de controle israelense, mas ninguém morreu. Cerca de 40 metros antes que a carroça atingisse o alvo, o palestino pulou do veículo, mas foi atingido com um tiro na perna por um soldado israelense ao tentar fugir. O homem foi levado a um hospital israelense, mas o burro que puxava a carroça morreu.A região de Rafah, área próxima à fronteira com o Egito é um verdadeiro barril-de-pólvora na Faixa de Gaza. Foi ali que, ontem, quando moradores do local tentavam fazer com que franco-atiradores palestinos parassem de atirar contra soldados israelenses, um garoto de 12 anos, Suleyman al-Massari, acabou morto no fogo cruzado. Outras quatro pessoas ficaram feridas no incidente. As forças de segurança palestinas estão à procura dos atiradores, uma vez que houve violação do cessar-fogo ordenado pelo líder da ANP, Yasser Arafat. Apesar dos dois incidentes, este fim-de-semana foi um dos mais tranqüilos na região desde que começou a Intifada palestina, há cerca de nove meses. Desde o início das hostilidades, cerca de 600 pessoas já morreram, a maioria delas palestinos.Líbano - Um camponês feriu-se gravemente ao pisar em uma mina anti-pessoal israelense e teve que amputar uma perna, este domingo, nas cercanias do povoado de Rmeish, região de Bint Jbeil, no sul do Líbano. O estado de saúde do camponês, de 72 anos, é crítico.As Nações Unidas estimam que Israel deixou pelo menos 130 mil minas plantadas e não-detonadas no território de 850 quilômetros quadrados que ocupou no Líbano, de onde se retirou em maio de 2000. Desde a retirada israelense, pelo menos 16 pessoas morreram e mais de 90 sofreram ferimentos, em acidentes envolvendo estas minas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.