SANA/AP
SANA/AP

Atentado suicida deixa ao menos dez mortos na Síria

Segundo televisão estatal, explosão ocorreu no centro de Damasco e deixou muitos civis feridos

Reuters

06 de janeiro de 2012 | 09h20

Atualizado às 11h00

 

AMÃ - A televisão estatal da Síria informou nesta sexta-feira, 6, que um suicida matou ao menos dez pessoas e feriu dezenas em um atentado no centro de Damasco. A emissora mostrou imagens do que aparentemente era um ônibus da polícia local danificado, além de vidros quebrados, metal retorcido, sangue e escudos de policiais no chão. Um outro canal informou que 25 pessoas haviam morrido, mas não há confirmação.

 

Veja também:
especialMAPA: 
A revolta que abalou o Oriente Médio
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução
tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe 

 

As pessoas presentes nas imagens gritavam que a explosão havia sido trabalho de terroristas. "Informações imediatas indicam que um homem-bomba detonou seus explosivos em um semáforo no bairro de Maidan. Há dezenas de mortos e feridos, a maioria civis", informou a emissora.

 

Em dezembro, pelo menos 44 pessoas morreram no que as autoridades sírias chamaram de duplo atentado suicida contra prédios das forças de segurança na capital do país. Tais ataques ocorreram um dia antes da chegada de uma comissão da Liga Árabe que investiga abusos cometidos pelo governo durante a repressão a protestos contra o regime do presidente Bashar Assad nos últimos meses.

 

As explosões ocorrem em um momento no qual a Síria vive um clima de violência e instabilidade devido às manifestações pró-democracia. A Organização das Nações Unidas (ONU) afirma que mais de 5 mil pessoas morreram na repressão, enquanto o governo diz que "terroristas" mataram 2 mil membros das forças de segurança desde o início da revolução, em março de 2011.

 

Um ativista da oposição afirmou em Damasco que o movimento pró-democracia não tinha qualquer relação com a explosão, sugerindo que se trata de uma ação de militantes islâmicos. "Parece que há um crescimento do extremismo islâmico na Síria e acho que há centenas de militantes que lutarão contra o regime desta forma. Veremos mais dessas explosões daqui para frente", disse a fonte, que pediu para não ser identificada. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.