Atentado suicida deixa pelo menos 25 feridos na Argélia

Violência da explosão produziu uma grande cratera próximo à Delegacia de Polícia de Tizi Ouzou

EFE

03 de agosto de 2008 | 06h36

Pelo menos 25 pessoas ficaram feridas neste domingo, 3, dentre as quais quatro policiais, pela explosão de um carro-bomba conduzido por um terrorista suicida próximo à Delegacia de Polícia de Tizi-Ouzou, capital da região argelina da Cabília, informou o Ministério do Interior do país.  A explosão ocorreu por volta das 5h no horário local (1h de Brasília) e causou estragos em vários edifícios situados nas proximidades da delegacia. Fontes de segurança indicaram que o terrorista suicida conduzia um veículo registrado na província de Boumerdès, e morreu no ato em conseqüência da explosão. Algumas testemunhas asseguram que a explosão produziu uma grande cratera próximo à delegacia. O ministro do Interior argelino, Yazid Zerhouni, que foi ao local do atentado junto com o diretor de Segurança Nacional, Ali Tounsi, disse que, entre os civis feridos, quatro continuam no hospital, enquanto um dos policiais deverá ser submetido a uma "leve intervenção cirúrgica" e os outros três já receberam alta. O ministro apelou à vigilância dos cidadãos e dos serviços de segurança para "desbaratar os objetivos dos terroristas, que querem prejudicar os esforços do Estado". Além disso, disse que 15 famílias tiveram suas casas danificadas pela explosão do carro-bomba, e que já foram dadas instruções para abrigos provisórios. Por motivos de segurança, os habitantes dos imóveis situados em um perímetro de 500 metros ao redor do lugar do atentado foram evacuados. Segundo algumas fontes, o terrorista suicida teria acionado mal a bomba, o que evitou um maior número de vítimas, já que o veículo tinha uma considerável carga explosiva. A explosão aconteceu por volta das 5h (1h de Brasília) e causou danos em vários edifícios situados nas proximidades da delegacia. Em 23 de julho, um terrorista suicida que conduzia uma motocicleta a detonou contra um comboio militar na localidade de Lakhdaria (70 quilômetros ao leste de Argel), deixando 13 soldados feridos. Em 4 de junho, outro terrorista suicida detonou o cinto de explosivos que levava contra um quartel em Argel, provocando três mortes.

Tudo o que sabemos sobre:
AtentadoArgélia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.