Atentado suicida mata 15 no Afeganistão

Um suicida jogou o carro que dirigia contra um comboio norte-americano em Cabul nesta quinta-feira, matando pelo menos 15 pessoas, dentre elas dois soldados norte-americanos e quatro empreiteiros civis, informaram autoridades. O ataque já faz de maio o mês mais sangrento deste ano para as forças de coalizão que atuam no Afeganistão.

Agência Estado

16 de maio de 2013 | 11h46

O comandante Bill Speaks, porta-voz da Secretaria de Defesa dos Estados Unidos, confirmou que dois soldados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) que foram mortos no ataque eram norte-americanos, mas não falou sobre a nacionalidade dos empreiteiros civis.

Foi o pior ataque na capital afegã desde 9 de março, quando suicidas atacaram nas proximidades do Ministério da Defesa afegão, enquanto o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, estava em visita ao local.

O presidente Hamid Karzai condenou o ataque, dizendo que foi realizado por "terroristas e inimigos da paz no Afeganistão".

O grupo militante islâmico Hizb-e-Islami assumiu a responsabilidade pelo ataque, dizendo que sua nova unidade de "martírio" acompanhou os deslocamentos do comboio durante semanas. A declaração pode indicar a intensificação do movimento, sediado no nordeste afegão e que luta contra a coalizão, mas também é um grande rival do Taleban.

Partes de corpos eram vistas no local do ataque e um veículo norte-americano foi reduzido a uma pilha de metal retorcido. A explosão foi tão forte que foi sentida do outro lado da cidade.

Nove civis afegãos morreram na explosão, dentre eles duas crianças, e 35 ficaram feridas, informou o porta-voz do Ministério da Saúde, Kanishka Beektash Torkystani.

O suicida detonou o carro cheio de explosivos por volta das 8h (horário local), disse Hashmad Stanakzi, porta-voz da polícia da província de Cabul. "A explosão foi muito forte e provocou um incêndio num prédio próximo", disse ele.

O chefe adjunto da polícia de Cabul, Daud Amin, declarou que é difícil contar os mortos porque vários corpos foram desmembrados. "Nós vimos dois corpos de crianças no chão", disse Amin. "Mas o restante dos corpos estava espalhado."

Haroon Zarghoon, porta-voz do Hizb-e-Islami, disse à Associated Press que um dos integrantes do movimento realizou o ataque contra dois veículos de conselheiros norte-americanos. Segundo Zarghoon, o grupo militante formou uma nova célula para realizar ataques suicidas contra as tropas norte-americanas e da coalizão. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoataqueviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.