Atentado suicida mata duas pessoas em Islamabad

Um homem-bomba matou um segurança e a si próprio em frente ao hotel Marriott de Islamabad nesta sexta-feira, disse o ministro paquistanês do Interior, Aftab Ahmed Khan Sherpao. "Foi um ataque suicida. O homem-bomba e um segurança do hotel morreram", disse Sherpao à Reuters. A explosão aconteceu às 14h37 (horário local), poucas horas antes de um comitê indiano se reunir no local. O Marriott é um dos hotéis mais importantes de Islamabad e costuma ser freqüentado por diplomatas estrangeiros e homens de negócios. Ao menos seis pessoas ficaram feridas, segundo outra autoridade paquistanesa. Havia um carro destruído ao lado do hotel, e um jornalista da Reuters viu uma poça de sangue e pedaços de carne espalhados no asfalto. "Ele estava a pé. A explosão aconteceu quando ele tentou entrar no hotel", disse Chaudhry Iftikhar Ahmed, chefe da polícia. A polícia isolou a área, onde ficam vários órgãos do governo. A embaixada dos EUA havia proibido seus funcionários de frequentarem o hotel depois de uma pequena explosão no saguão, em 2004, que feriu sete pessoas, inclusive um diplomata norte-americano. O governo paquistanês atribuiu aquele incidente a um curto-circuito. Atentados a bomba foram raros em Islamabad nos últimos anos porque a segurança na capital - pequena e construída para ser sede do governo - é mais reforçada que nas grandes cidades do país. Fora da capital, porém, as explosões são freqüentes, normalmente provocadas por grupos islâmicos contrários à aliança do governo de Pervez Musharraf com Washington depois dos atentados de 11 de setembro de 2001 contra os EUA.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.