Atentado suicida no Iraque deixa 35 mortos e 90 feridos

Pelo menos 35 pessoas morreram e mais de 90 ficaram feridas na cidade iraquiana de Kirkuk, quando um suicida detonou um caminhão cheio de explosivos diante de um quartel e homens armados, disfarçados de policiais, tentaram invadir o local.

BAGDÁ, O Estado de S.Paulo

04 de fevereiro de 2013 | 02h04

Este foi o terceiro grande atentado nas últimas semanas perto ou na cidade, onde vivem árabes, curdos e turcos e que está no coração de uma disputa entre o governo iraquiano e a região autônoma do Curdistão.

A polícia disse que o atacante provocou uma enorme explosão na entrada lateral do quartel, destruindo parte de um escritório do governo próximo.

"Depois da explosão, homens armados com fuzis AK-47 e granadas atacaram, mas os guardas os mataram", disse um agente.

Policiais e membros das equipes de resgate levaram os feridos em macas em meio aos escombros deixados pela explosão, que também provocou uma enorme cratera.

Insurgentes vinculados à rede Al-Qaeda tentam inflamar o conflito sectário no Iraque, onde o governo de união nacional - formado entre a maioria xiita, sunitas e curdos étnicos - vem enfrentando uma crise desde que os últimos soldados americanos abandonaram o país, há um ano.

O premiê xiita, Nouri al-Maliki, enfrenta amplos protestos de muçulmanos sunitas nas províncias ocidentais, que pedem sua demissão e reclamam de terem sido marginalizados desde a queda de Saddam Hussein. No norte, Maliki também enfrenta uma intensa disputa com o enclave curdo autônomo pelo controle de poços petrolíferos e terras ao longo dos chamados "territórios disputados", dos quais a cidade de Kirkuk faz parte. / AFP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.