Atentados a bomba deixam ao menos 48 mortos no Iraque

Ao menos 48 pessoas morreram e 93 ficaram feridas numa seqüência de ataques à bomba nesta segunda-feira, 23, no Iraque, incluindo dois carros-bomba em Ramadi que atingiram policiais e civis.Um dos carros suicidas atingiu um restaurante em Ramadi, oeste de Bagdá, matando 20 civis e ferindo 35, segundo uma autoridade do Ministério do Interior.Mais cedo, em outro ataque, um carro-bomba explodiu em um posto policial fora de Ramadi, matando quatro e ferindo seis civis e um policial, disse uma autoridade da polícia.Outro carro bomba carregado com explosivos foi encontrado próximo ao posto policial e foi detonado em uma explosão controlada pelas forças de segurança, disse a autoridade.Segundo a policia de Bagdá, sete pessoas morreram e 16 ficaram feridas quando um carro-bomba explodiu dentro de um restaurante próximo à Zona Verde.Dois outros carros suicidas atingiram uma área próxima a embaixada do Irã, um horas após o outro, segundo a polícia. Um civil iraquiano morreu e outro ficou ferido. O segundo carro detonou no mesmo local, ferindo dois policiais.Em Baquba, 65 quilômetros ao nordeste de Bagdá, seis policiais morreram e 13 outros ficaram feridos, entre eles muitos policiais, após a explosão de um carro-bomba.Segundo as fontes policiais, o atentado teve como alvo uma delegacia da polícia desta cidade da província de Diyala, que se transformou em um dos principais focos da insurgência sunita.A sede de um partido político curdo nos arredores da cidade de Mossul, no norte do Iraque, também foi atingida. Um suicida chocou seu carro-bomba contra o edifício, matando 10 pessoas e ferindo outras 20.Os atentados desta segunda-feira ocorrem depois da mais violenta semana desde o início do plano de segurança dos Estados Unidos, em vigor desde 14 de fevereiro.Na semana passada, pelo menos 262 pessoas morreram durante a pior onda de violência sectária no país em 2007. Outras 747 ficaram feridas em decorrência dos ataques, em sua maioria, de sunitas contra xiitas.Texto atualizado às 15h21

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.