AP Photo/Nabil al-Jurani
AP Photo/Nabil al-Jurani

Atentados contra forças de segurança e milícias xiitas no Iraque deixam ao menos 29 mortos

Pelo menos 1.119 pessoas morreram no Iraque e outras 1.561 ficaram feridas em atos de violência e terrorismo durante o mês de março, segundo os números da missão da Organização das Nações Unidas no território iraquiano

O Estado de S. Paulo

04 Abril 2016 | 10h40

BAGDÁ - Pelo menos 29 pessoas morreram e cerca de 50 ficaram feridas em uma onda de atentados suicidas realizados nesta segunda-feira, 4, em sua maioria contra as forças de segurança e milicianos xiitas em Bagdá e no sul do Iraque.

Uma fonte de segurança que não quis revelar seu nome informou que um suicida detonou seu cinto de explosivos em um posto de controle misto do Exército e da Polícia no nordeste de Bagdá. O ataque causou a morte de 5 pessoas e ferimentos em 12. Além disso, vários veículos civis foram destruídos.

Outros 14 iraquianos morreram e 27 ficaram feridos com a detonação do cinto explosivo de outro suicida em um restaurante frequentado por milicianos xiitas na cidade de Nasiriyah, capital da província de Dhi Qar. No estabelecimento estava um grupo de voluntários da milícia xiita pró-governo Multidão Popular, muito ativa na luta contra o grupo terrorista Estado Islâmico. Uma fonte policial disse que entre os feridos há pessoas em estado grave e que a explosão causou grandes danos materiais.

Os membros da Multidão Popular também foram alvo de outro suicida que detonou um carro-bomba contra um comboio do grupo em Al Moshahda, localizado a 40 km ao norte de Bagdá. Quatro pessoas morreram e oito sofreram ferimentos no ataque. Ainda não se sabe se todas as vítimas eram da milícia.

O quarto ataque suicida aconteceu no centro da cidade de Basra, a 560 km ao sul de Bagdá, onde a explosão de outro veículo conduzido por um suicida causou quatro mortes e seis feridos.

Além dos ataques suicidas, duas pessoas morreram e sete ficaram feridas com a explosão de duas bombas nos bairros de Al Nasr e Al Salam, no distrito de Abu Ghraib, a oeste da capital.

Pelo menos 1.119 pessoas morreram no Iraque e outras 1.561 ficaram feridas em atos de violência e terrorismo durante o mês de março, segundo os números da missão da Organização das Nações Unidas no país (Unami). /ASSOCIATED PRESS, EFE e AFP

Mais conteúdo sobre:
atentados Iraque violência

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.