Atentados deixam 10 soldados da Otan mortos no Afeganistão

Sete vítimas são americanos; dia foi o mais sangrento do ano para a aliança no país

Agência Estado e Associated Press

07 de junho de 2010 | 16h02

CABUL - Dez soldados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), incluindo sete americanos, morreram em incidentes separados no sul e leste do Afeganistão nesta segunda-feira, 7, afirmaram militares da aliança.

 

Para as tropas da Otan, o dia foi o mais violento deste ano no país da Ásia Central. Entre os mortos está um funcionário militar americano que treinava policiais afegãos e foi atingido num ataque de homens-bomba em Kandahar.

 

O primeiro ataque a bomba matou cinco soldados dos EUA e um sexto morreu vítima de disparos de uma arma leve, informou a Otan. Mais três soldados da Otan de outras nacionalidades foram mortos pelos insurgentes em incidentes ainda não detalhados.

 

O sétimo americano morto hoje era um empregado militar que prestava treinamento policial em Kandahar. Ele morreu no ataque suicida de um homem-bomba nessa cidade, numa academia de polícia, informou a Embaixada dos EUA em Cabul. Além do americano, um afegão foi morto no ataque, quando três homens-bomba se explodiram no centro de treinamento.

 

Funcionários afegãos disseram que um homem-bomba se explodiu numa parede externa do centro de treinamento, abrindo um buraco e permitindo a entrada dos outros dois agressores, que em seguida detonaram seus explosivos.

 

As tropas da Otan, dos EUA e do Afeganistão se preparam para uma grande ofensiva contra o Taleban, na província de Kandahar, no sul do país. O número de tropas estrangeiras no país deve chegar ao recorde de 150 mil em agosto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.