Atentados deixam ao menos 22 mortos em Bagdá

Pelo menos 22 pessoas morreram neste domingo, 4, em uma nova onda de violência no Iraque, um dia depois de o pior ataque suicida desde o início da guerra ter custado a vida de 137 pessoas.Neste domingo, apenas em Bagdá, morreram oito pessoas em dois atentados com carros-bomba, quatro delas em uma estação de ônibus na área xiita de Cidade Sadr e outras quatro quando tentavam abastecer seus carros com combustível em Dora, um bairro violento da capital.A explosão de sábado foi a mais letal em Bagdá desde que uma série de detonações de carros-bomba e disparos de morteiros mataram pelo menos 215 pessoas em Cidade Sadr, em 23 de novembro.Fontes hospitalares disseram que além dos mortos, pelo menos 300 pessoas ficaram feridas na explosão que também destruiu as paredes de edifícios vizinhos ao mercado Sadriya, onde um caminhão foi detonado por um terrorista suicida.Enquanto velavam seus mortos, os iraquianos enfrentaram outra jornada de ataques com dinamite e tiroteios neste domingo, com a morte de pelo menos outras 14 pessoas, entre elas dois empregados de uma empresa de telefonia celular que foram mortos a tiros e quatro policiais que foram atingidos por uma bomba.Também neste domingo, soldados iraquianos detiveram 32 milicianos e descobriram quatro depósitos de armas no oeste de Bagdá.Soldados americanosJá no sul de Bagdá, dois soldados americanos morreram e outro ficou ferido na explosão de uma bomba durante uma operação, informou o comando militar dos EUA num comunicado.Um terceiro soldado perdeu a vida sexta-feira "numa ação hostil" contra uma base americana no norte da capital, segundo outro documento do Exército dos EUA.Com a morte desses três soldados, subiu para 3.090 o número de soldados americanos que morreram no Iraque desde que, em março de 2003, começou a invasão ao país árabe.Matéria ampliada às 14h49

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.