Atentados deixam pelo menos 17 mortos no Iraque

Entre as vítimas há 10 pessoas de uma mesma família; 190 morreram desde o início do ano

AE, Agência Estado

26 de janeiro de 2012 | 17h45

Texto atualizado às 19h18

 

BAGDÁ - Os insurgentes aumentaram os ataques no Iraque nesta quinta-feira, 26, matando pelo menos 17 pessoas ao redor do país, incluindo 10 pessoas de uma mesma família em um atentado contra a casa onde viviam dois policiais com suas mulheres e filhos, na província de Babilônia, disseram a polícia e funcionários dos hospitais iraquianos.

 

Pelo menos 190 pessoas foram mortas no ressurgimento da violência no Iraque desde o começo deste ano. O aumento da violência ocorre em meio a uma grave crise política entre líderes políticos xiitas e sunitas do país, que arrastaram o país à beira de uma guerra civil. A maioria dos ataques é dirigida contra os xiitas, que formam a maioria da população, mas nesta quinta-feira os sunitas também foram vítimas.

 

Sadiyah e Yarmouk

 

No bairro Sadiyah, predominantemente sunita, duas bombas instaladas na entrada de um popular café explodiram, matando três pessoas e ferindo outras 17, disseram policiais. Um policial foi morto a tiros em outro incidente no mesmo bairro. Em Yarmouk, bairro também sunita no oeste de Bagdá, atiradores mataram um corretor de imóveis e dois clientes, disse a polícia.

 

Na madrugada, um ataque a bomba matou 10 pessoas em Mussayib, informaram policiais e médicos. O atentado tinha como alvo a casa de dois irmãos, ambos policiais, e matou todos os 10 membros da família deles, incluídas quatro mulheres e crianças.

 

O ataque em Mussayib, 60 quilômetros ao sul de Bagdá, atingiu a residência dos policiais Ahmed e Jihad Zuwaiyin, enquanto a família dormia, por volta das 4h (horário local), disse um policial em Hilla, capital da província da Babilônia. As vítimas incluíam os dois policiais e suas mulheres e seis crianças, todas menores de 10 anos, disse um médico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.